Conferências de Ater devem mobilizar 40 mil pessoas pelo Brasil Rural

19/02/2016

Desde junho de 2015, uma intensa mobilização tem acontecido pelas 5 regiões do país em conferências municipais, territoriais, temáticas e estadual rumo à 2ª Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (2ª Cnater). O evento é organizado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) sob a coordenação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf). Mais de 24 mil pessoas já participaram das conferências.

Agricultoras e agricultores, quilombolas, indígenas, ribeirinhos e ribeirinhas são apenas uma parte de toda a diversidade do rural brasileiro – gente que luta por mais políticas públicas e está representada na 2ª Cnater. De outubro até aqui, foram realizadas 222 conferências territoriais, envolvendo 18.078 pessoas. Já a etapa municipal, contou com público de 6.515 participantes.

O Brasil tem 239 territórios de identidade reconhecidos no Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais (Pronat). Até a etapa nacional, que acontece em maio de 2016, serão 266 territórios realizando conferências, 27 a mais que o previsto. Para Cláudio Oliveira, membro da equipe nacional da 2ª Cnater, a avaliação é bastante positiva. “Fazer 24.884 mil pessoas pensarem sobre a universalização da política de Ater no rural brasileiro é muito importante. Nossa expectativa é chegarmos aos 40 mil”, disse.

Rodrigo também afirma que a principal demanda dos participantes é o debate sobre o Sistema Nacional de Ater - Fortalecimento institucional, Estruturação, Gestão, Financiamento e Participação Social; a relação da Ater com as políticas públicas para agricultura familiar; e a formação e construção do conhecimento em torno da Ater.

A ativista Generosa Oliveira, representante da União Nacional de Cooperativas de Agricultura Familiar e Solidária (Unicafes), acredita que a 2ª Cnater dá solidez às conquistas dos últimos anos, mas é também um espaço para lutar por mais avanços. “Estamos vivendo mudanças importantes aliadas ao Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. Não dá mais pra pensar numa agricultura do passado. Queremos a segurança alimentar e a Ater tem uma responsabilidade grande”.

Destaques

A conferência temática de Mulheres, ocorrida nos dias 10 e 11 de dezembro, reuniu 100 mulheres no debate sobre políticas específicas a partir do gênero. Para o início de 2016, estão previstas as conferências temáticas de Juventude e a de Povos e Comunidades Tradicionais. No Rio Grande do Sul, a conferência dos territórios Vale do Rio Pardo e Centro Serra reuniu 600 pessoas, a maior realizada até então.

Roraima já realizou sua etapa estadual, a primeira dentre os estados, mobilizando 191 pessoas no fim de 2015. O Ceará realiza sua estadual dias 24 e 25 de fevereiro, em seguida Mato Grosso do Sul, dias 17 e 18 de março. Outro destaque é o estado da Bahia, que reuniu 6,5 mil pessoas em conferências municipais, mesmo não sendo obrigatórias. O estado de São Paulo, que possui apenas 5 territórios homologados e reconhecidos pelo Pronat, deve realizar 19 conferências territoriais. As etapas territoriais seguem até do dia 29 de fevereiro de 2016. As estaduais e distrital vão até 15 de abril.

Para a etapa nacional, que ocorrerá em Brasília, há a previsão de 1.000 participantes, entre delegados e delegadas, convidados e convidadas, além de artistas que participarão de mostra cultural. As propostas levantadas pela sociedade civil e governos vão ser discutidas na etapa nacional e devem subsidiar as políticas de Ater do MDA pelos próximos anos.

Texto: Condraf

Foto: 2ª Conferência Territorial de Ater do Sul de Roraima.